Conta conjunta: como funciona? Vale a pena?

conta conjunta

Saiba quais as facilidades e dificuldades que uma conta conjunta pode trazer ao seu dia a dia.

Ao pensar em abrir uma conta conjunta, provavelmente irá esbarrar numa série de dúvidas, uma delas é se essa ferramenta vai ser útil para si. O ideal é saber todas as características que este tipo de conta tem, para que seja enquadrada junto ao perfil das pessoas que irão utilizar.

Vamos apurar tudo o que precisa de saber antes de adotar a conta conjunta na sua empresa ou relacionamento.

O que é uma conta conjunta? 

É uma conta-corrente ou poupança com mais de um titular, essa é a principal diferença entre esse tipo de conta e as demais. Os titulares reconhecem-se para todos os atos praticados sobre a conta.

A característica mais específica deste tipo de conta, é a necessidade de uma autorização simultânea de todos os titulares para que uma movimentação seja feita. Uma conta conjunta subdivide-se em dois tipos:

  • Solidária: qualquer pessoa titular pode movimentar a conta como quiser. É possível cada um ter o seu cartão de crédito ou débito, realizar levantamentos, fazer transferências ou mesmo contratar empréstimos;
  • Conjunta simples ou não solidária: nessa modalidade tudo depende da aprovação de todos os titulares. Para levantar dinheiro ou enviar capital através de transferências, é preciso a autorização via assinatura física ou digital de todos os envolvidos.

Funcionamento

O saldo de uma conta conjunta, de eventuais produtos de poupança associados, e os ganhos obtidos com juros pertencem a todos os titulares, em partes iguais. O mesmo se aplica às responsabilidades relativas à conta

A movimentação pode ser feita por cartões, internet, cheque e caixas de agências, ou seja, de modo parecido aos outros tipos de conta. Porém, se a conta for do tipo não solidaria, as transações precisam de ser aprovadas por todos os titulares.

Vale realçar que os comprovativos de uma conta conjunta saem no nome do primeiro titular, então os restantes titulares podem ser prejudicados, por exemplo: domiciliação do salário em conta.

Também é possível que um titular seja retirado da conta, desde que não se trate do primeiro titular e todos os titulares o acordem.

Vantagens e desvantagens em possuir uma conta conjunta

Vantagens:

  • Isenção de comissões bancárias: Ao juntar dois rendimentos, provavelmente terá um saldo superior, o que dará maior poder de negócio entre banco e cliente;
  • Gestão simples: contando que os titulares se entendam e possuam confiança mútua, a gestão de uma conta pode ser mais fácil;
  • Maior disponibilidade: caso um dos membros viaje ou se ausente, o segundo titular poderia ajudar nos processos jurídicos;
  •  Menos burocracia: uma conta conjunta concentra os dados e comprovativos, o que diminui papeis de arquivo e facilita o controlo. 

Desvantagens

  • Possíveis atritos: caso haja desacordos ou falta de transparência entre os titulares, é provável que surjam discussões e um clima pouco amigável;
  • Restrição de acesso: quando um dos titulares da conta tiver urgência para levantar determinada quantia, terá de ter o consentimento dos titulares restantes;
  • Falecimento de um dos titulares: situações difíceis podem acorrer em caso de falecimento de um dos titulares. Pode ser que o dinheiro precise ficar no banco até que os herdeiros entrem em acordos; 
  • Risco de insolvência: se um dos titulares entrar em situação de falência, o outro será afetado;
  • Divorcio litigioso: há pessoas que ao se separarem tomam determinadas atitudes para prejudicar o ex-conjuge.

Como abrir ou fechar uma conta conjunta? 

A abertura da conta conjunta é similar ao de uma conta tradicional, qualquer pessoa maior de 18 anos, pode abrir. Normalmente, esta é uma opção para casais, pais, filhos ou irmãos. Porém, os titulares não precisam ter nenhum grau de parentesco.

A abertura da conta conjunta requer a apresentação de documentos como: comprovativo de morada atualizado, comprovativo de renda e documento de identificação. Além disso, todos os titulares devem estar presentes e apresentarem os respetivos documentos. 

O fecho costuma ser permitido através do pedido assinado por todos os titulares, podendo haver exceções de acordo com contrato assinado no momento da abertura. 

Criar uma conta conjunta é para si? 

Como foi visto, conta conjunta possui vários pormenores que devem ser analisados caso a caso. É ideal que pense e analise muito bem quem é seu possível sócio e a sua relação com o mesmo.

Pergunte-se sobre o quão aberta é a relação financeira de ambos, se há aspiração de objetivos, gastos comuns aos dois, falar abertamente de dinheiro sem haver desconforto entre as partes é primordial. Essas, e outras questões devem ser levantadas antes do início da conta.

Saiba quais são os melhores bancos em Portugal e prepare-se para a mudança!

Partilhe este artigo
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Deixe o seu comentário
Subscrever
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments