Abrir uma empresa em Portugal: Guia passo a passo

abrir uma empresa

Abrir uma empresa é o sonho de muitos portugueses por diversos motivos, tais como: ser o próprio chefe, fazer os seus horários, suas regras e principalmente, investir o tempo em algo que realmente vai trazer valor à sua vida, algo que você goste.

Mesmo sendo o sonho de muitos, poucos se aventuram. Alguns nem começam por pensarem ser impossível essa mudança de empregado para patrão. Outros começam, mas esbarram na burocracia ou na falta de experiência e planeamento, então acabam a fracassar no primeiro ano.

Neste artigo desmistificaremos essa entrada para o mundo empresarial, mostraremos o passo a passo de como obter sucesso nessa aventura, acompanhe.

Faça um plano

A negligência na hora de construir um plano faz com que muitos novos empresários falhem no primeiro imprevisto, é preciso mais do que uma ideia de negócios para começar. 

Anote o nome da empresa, missão, potenciais mercados, possíveis concorrentes (estes devem ser avaliados de perto, se possível, leve para o seu negócio o que deu certo e elimine o que parece estar errado), objetivos a serem cumpridos, estratégia comercial a ser adotada (especificando a logística de tudo), previsões financeiras, investimentos necessários e qualquer outro detalhe que julgue pertinente para a saúde do negócio. 

Quanto mais pormenores forem destacados no seu plano, menos se surpreenderá com os imprevistos. Coloque muito do seu tempo no planeamento, ele é quem lhe irá mostrar se abrir uma empresa com a sua ideia é viável ou não.

Escolha o tipo de empresa

Escolha como deseja desenvolver a sua ideia de negócio. Abrir uma empresa sozinho dar-lhe-á controlo total sobre as decisões, mas, provavelmente trabalhará mais e terá que investir sozinho ou procurar um financiamento.

Se necessário procure financiamento 

Após fazer o plano para abrir uma empresa, terá todos os custos previstos para abrir uma empresa, então, caso não tenha todo dinheiro necessário para dar vida a sua ideia, precisará de financiamento. Este pode ser conseguido através de: financiamento bancário (empréstimos bancários), investidor (investidores que procuram empresas de crescimento para investir) e capital de risco (investimento empresarial).

Lembre-se que é importante contar com os imprevistos, tenha um fundo de emergência para quando eles se apresentarem.

Abra a empresa formalmente 

A formalização de uma empresa pode ser feita por duas formas, online ou presencial.

Online

Podendo ser criado remotamente, este modo traz a facilidade ao empresário que deseja abrir uma empresa. Este só precisará de ter Cartão de Cidadão e Assinatura Digital ativa. Ou, em alternativa, o Certificado Digital, caso seja feito por advogado, notário ou solicitador.

Tendo acesso a estes documentos digitais, o empresário precisará de aceder ao serviço “Empresa Online”, disponível no Balcão do Empreendedor, no Portal do Cidadão.

Através da “Empresa Online”, é possível constituir sociedades anónimas, por quotas ou unipessoais por quotas.

Presencialmente

Podendo constituir uma empresa em menos de uma hora, o modo presencial de abrir uma empresa pode ser feito nos balcões “Empresa na Hora”. 

Deste modo será possível abrir uma sociedade unipessoal por quotas, sociedade por quotas ou sociedade anónima. Só necessitará que no momento da constituição da empresa todos os futuros sócios estejam presentes. 

No caso de que algum sócio não possa estar presente no momento de abrir uma empresa, será necessário que o mesmo seja representado por um procurador munido de uma procuração.

Importante realçar que os sócios ou procuradores devem levar um documento de identificação (Cartão de Cidadão, Bilhete de Identidade, passaporte ou autorização de residência) e indicar o Número de Identificação Fiscal (NIF).

Passo a passo após a chegada ao balcão “Empresa na hora”

  1. Escolha o nome da empresa: terá que escolher um nome da lista pré-aprovada na internet ou da lista no balcão “Empresa na Hora”. Também poderá apresentar um certificado de admissibilidade que já tenha sido aprovado pelo Registo Nacional de Pessoas Coletivas;
  1. Escolha o pacto social: terá que escolher entre os modelos de pactos pré-aprovados (sociedade unipessoal por quotas, sociedade por quotas e sociedade anónima) ou na pasta de pactos facultada no local de atendimento;
  2. Indicar um Técnico Oficial de Contas (TOC): Se não indicar um TOC, é possível que escolha um da Bolsa de TOCs disponibilizada, ou entregue uma declaração de início de atividade em qualquer serviço de Finanças (até 15 dias depois da criação da empresa);
  3. Depósito de capital social: O processo concretiza-se ao haver o depósito do valor do capital social (valor que os sócios ou acionistas da empresa investem para iniciar a atividade empresarial) em uma conta bancária aberta em nome da empresa no prazo de cinco dias úteis após a constituição.

Vale lembrar que o processo de abrir uma empresa no “Empresa na Hora” não é grátis, atualmente tem o custo de 360 euros, estes, devem ser pagos no momento da constituição da empresa.

Após o pagamento irá receber: Pacto Social, Código de acesso à Certidão Permanente de Registo Comercial (pelo prazo de três meses), Código de acesso ao cartão eletrônico da empresa e o número de segurança social da empresa. O cartão da empresa será enviado depois à sede da sociedade ou do representante.

Informe sobre os apoios do Estado a quem vai abrir uma empresa

Há uma lista de programas financeiros que o podem ajudar na hora de abrir uma empresa, veja: 

  • Apoio à criação do próprio emprego: consiste na atribuição de apoios a projetos de emprego promovidos por beneficiários das prestações de desemprego, através da antecipação das prestações de desemprego, desde que os mesmos assegurem o emprego, o tempo inteiro, dos promotores subsidiados.
  •  Apoio à criação de empresas: atribuição de apoio a projetos de criação de empresas de pequena dimensão com fins lucrativos, incluindo cooperativas, através do acesso a linhas de crédito com garantia e bonificação da taxa de juro concedido por instituições bancárias. 
  • Programa Nacional de Microcrédito: para quem tem dificuldade em entrar no mercado de trabalho, microempresas e cooperativas da economia social. Concede empréstimo com período de carência e taxas de juro bonificadas;
  •  Investe Jovem: Programa destinado a promover a criação de empresas por jovens desempregados, através das seguintes modalidades de apoio: Apoio financeiro ao investimento, Apoio financeiro à criação do próprio emprego dos promotores e Apoio técnico.
  •  ADN Start Up: para microempresas. Apoia a concessão de empréstimos com taxas bonificadas.
Partilhe este artigo
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Deixe o seu comentário
Subscrever
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments