Blockchain: O que é e qual a sua função

blockchain

Impossível falar em criptoativos sem mencionar a blockchain. Criado com as criptomoedas, esta tecnologia garante a segurança e transparência em negociações digitais. Não restrito somente as criptomoedas, praticamente qualquer “item” de valor pode ser rastreado e negociado numa rede de blockchain, reduzindo os riscos e os custos para todos os envolvidos.

Saiba tudo sobre a tecnologia por trás do mundo cripto!

Mas, o que é Blockchain?

É uma base de dados compartilhada, além de intocável ela regista e valida as transações digitais do utilizador. Essa base de dados (blockchain) guarda diversas informações, como:

  • Quantidade de criptomoedas transferidas entre os utilizadores;
  • Remetente e Destinatário;
  • Data e hora da transação.

Esta rede é descentralizada no caso das criptomoedas, ou seja, diferente dos outros sistemas que conhecemos e não é controlada por uma só entidade. Os próprios participantes controlam e auditam tudo através das cópias que existem nos computadores de todos os envolvidos.

Mesmo com todos tendo cópias da blockchain, não é possível fazer a alteração dos dados ali inseridos. Para inserção de novos dados é preciso que mais de 50% dos utilizadores validem aquela operação. Portanto, para haver uma fraude no sistema, é preciso que haja um hack em pelo menos metade da rede. A segurança é tão forte quanto à quantidade de ‘nós’ existentes.

Vale realçar a existência das blockchain privadas, essas são controladas por uma entidade que dita a regras e controla quem participa. Esse modelo faz sentido para empresas ou governos que queiram usar parte da tecnologia blockchain, sem perder o controlo.

Como funciona?

O sistema ganhou o nome blockchain por ser uma cadeia de blocos, armazenados de forma sequencial. Ou seja, uma informação é armazenada uma após a outra. Após armazenada, ela torna-se intocável.

Os blocos são dependentes um do outro, portanto, uma mudança em qualquer bloco de dados alteraria o resto. Assim, após armazenada, a alteração ficará gravada eternamente

Vamos a um exemplo pratico do funcionamento:

  1. Digamos que enviou bitcoins para carteira de um amigo, essa transferência fica registada na blockchain, dentro de um bloco de informação;
  2. O bloco é distribuído na rede instantaneamente, cada máquina fica com uma cópia da transação, e verifica se a mesma é valida, esse trâmite dura poucos minutos;
  3. Após aprovado (validação é feita por “mineradores”, estes são remunerados com frações de criptoativos), a informação é adicionada a corrente de blocos de armazenamento, ficando assim, registada permanentemente na rede;
  4. Agora, as bitcoins que eram registadas no seu nome, são registadas no nome do seu amigo.

O bloco cheio de informações, como a desta transação, é selado, e etiquetado com data e hora. Então um identificador chamado HASH, é atribuído ao bloco.

A blockchain é uma cadeia de blocos onde cada um contem um arquivo e um hash, este, é garantidor que as informações ali contidas, não foram violadas. Cada bloco criado possui duas hashs, a sua e a do bloco anterior, criando-se uma corrente de informações.

Como funciona a mineração de criptomoedas

De forma resumida, a mineração consiste num problema matemático que o computador trabalha para encontrar o resultado. A recompensa para quem conseguir resolver a equação é uma fração de criptomoeda.

Na prática, o minerador valida um bloco minerado e é recompensado. Mas, além de resolver, ele também precisa de ser o primeiro entre todos os outros a chegar à solução. Por isso há necessidade de computadores muito potentes, e programas feitos somente para este fim. Veja alguns programas usados na mineração de bitcoins:

  • CGMiner
  • BFGMiner
  • EasyMiner
  • Awesome Miner

Agora que sabe o que é uma blockchain, nada melhor do que verificar os nossos artigos sobre investimentos, onde está tudo interligado e pode ser do seu interesse.

Partilhe este artigo
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Deixe o seu comentário
Subscrever
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments