Crédito hipotecário: O que é? Quando fazer?

Crédito hipotecário

O crédito hipotecário é, muitas vezes, a solução para quem precisa de um dinheiro extra na aquisição de um bem ou reforma do que já possui. A prática de oferecer um bem como garantia para um empréstimo, que ajuda a negociar juros mais baixos e valores mais altos, é muitas vezes procurado. Porém, o crédito hipotecário tem os seus riscos, e estes merecem a sua atenção.

Saiba o que é preciso considerar antes de adquirir o crédito hipotecário neste artigo!

O que é um crédito hipotecário?

Crédito hipotecário é uma modalidade de crédito na qual o cliente requerente oferece uma garantia de que o seu empréstimo será pago, ou seja, quando o cliente pede dinheiro emprestado ao banco, este oferece algo valioso como garantia de que a divida será paga.

A garantia oferecida vem especificada no contrato da divida, onde reduz os riscos assumidos por quem empresta o dinheiro, por consequência, o banco empresta um capital maior sob juros menores

Vale lembrar que o ativo hipotecado ainda é do proprietário, no entanto, este ficará limitado quanto ao que pode fazer com o imóvel. 

Tipos de crédito hipotecário

Existem três tipos de crédito hipotecário disponíveis, o crédito habitação, conexo e consolidado. Veja as características de cada um: 

Crédito habitação

Neste modelo, o cliente pede um empréstimo ao banco para comprar uma casa, e oferece a casa que deseja comprar como garantia.

Também existem variações deste modelo, é possível que o cliente peça dinheiro para construir uma casa e coloque a casa construída como garantia de que o empréstimo será pago.

Crédito Conexo

Também conhecido como crédito multirriscos ou multiopções, surge sempre associado a um crédito habitação, pressupõe a hipoteca do imóvel para garantir um empréstimo com outros fins além da compra.

Esse tipo de empréstimo tem a mesma casa usada no crédito habitação como garantia, é como um empréstimo adicional com novas condições, nova taxa de juros e novo prazo assentando sob a mesma garantia.

Crédito Consolidado

O crédito consolidado corresponde à junção de todos os créditos em um único com melhores condições, usa um bem imóvel como garantia ao empréstimo.

Quais os tipos de hipoteca que existem?

Também existem três tipos de hipoteca: a voluntaria, a legal e a judicial. Veja as suas características: 

  • Hipoteca voluntária: é o produto de um acordo mútuo entre o banco e o requerente do empréstimo, podendo aplicar-se também a um bem imóvel equiparado;
  • Hipoteca legal: resultado da lei e aplica-se a favor do Estado, de autarquias locais ou de outras entidades públicas sempre que o devedor esteja endividado e não tenha outra forma de saldar as suas dívidas. Pode acontecer quando um contribuinte deve à Segurança Social, sendo esta a forma que o Estado tem de reaver o montante em falta por parte do devedor.
  • Hipoteca judicial: resultado de uma sentença contra o devedor, em favor do credor, no âmbito de um processo judicial, que obriga o devedor a pagar uma determinada dívida com recurso de um registo de hipoteca sobre os seus bens. A hipoteca judicial é típica de situações de insolvência. 

Como solicitar um crédito hipotecário

O crédito pode ser solicitado no banco, parecido com um empréstimo comum, onde apresentará os seus documentos junto aos do bem que deseja hipotecar. A instituição bancaria avaliará o imóvel ou bem oferecido, assim como avaliará o seu perfil. 

O bem oferecido para hipoteca tem que possuir um valor superior ao valor do empréstimo requerido, e não pode estar comprometido em outros encargos. 

Além de avaliar o valor do bem hipotecado, o banco avaliará o seu salário liquido, a taxa de esforço, o Loan To Value (diferença entre valor emprestado e o valor total do imóvel a comprar) e o seu histórico de incumprimento de créditos. 

Após avaliação, a entidade bancária poderá colocá-lo como elegível ao crédito e avançarão para o contrato.

Riscos do Crédito hipotecário

O crédito hipotecário possui algumas facilidades que fazem compensar essa modalidade de empréstimo, veja: 

  • Juros mais baixo – A sua hipoteca faz com que o banco incorra em menos riscos ao conceder-lhe empréstimos e, no mundo das finanças, um menor risco implica melhores oportunidades para si;
  • Montantes maiores – Tendo garantias, poderá obter empréstimos mais avultados para financiar os seus projetos de vida e sonhos sob a mesma justificativa do ponto anterior;
  • Maior prazo – É difícil prever o que irá acontecer daqui a 30 ou 40 anos, mas sabemos com algum grau de certeza que há bens, como as casas, que continuarão a ser essenciais. Por este fator, os bancos, havendo uma hipoteca, poderão estender os prazos com mais facilidade;
  • Maior aceitabilidade – Com uma garantia de que terá o dinheiro de volta, o banco pode facilitar o retorno do empréstimo.

Mas, antes que pense em obter essa modalidade de empréstimo, é importante realçar os riscos a serem levados em consideração, uma vez que ofereceu a penhora de um bem, o incumprimento do contrato oferece risco real de perdê-lo. 

Portanto, vale a pena pensar nos prós e contras de obter o dinheiro necessário para realização de um desejo.

Partilhe este artigo
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Deixe o seu comentário
Subscrever
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments