Um guia para vender casa sem agente imobiliário

vender casa

Está a pensar em vender casa sem a ajuda de uma imobiliária, mas não sabe por onde começar? Não é impossível, apenas requer dedicação e disponibilidade! Conheça aqui todos os passos para conseguir vender casa sozinho e fique a par de todos os documentos necessários, impostos a pagar, e os prós e contras desta opção.

Quais os passos para vender casa sem recorrer a uma agência imobiliária?

1. Avalie o imóvel e estabeleça um preço

Para determinar o preço a que vai colocar a casa à venda, é aconselhável que faça primeiro uma avaliação do imóvel. Pode fazer isto de três formas diferentes:

  • Compare o preço de outras casas parecidas na mesma localização e analise o que o mercado tem para oferecer. Tenha em conta as qualidades do seu imóvel ao decidir sobre o preço;
  • Utilize um simulador online para determinar o preço aproximado. Contudo, tenha em atenção que este não é o método mais fidedigno, pois é apenas uma estimativa;
  • Contrate um perito ou empresa especializada para avaliar a sua casa. Este é o método ideal, uma vez que são profissionais especializados na área, oferecendo um serviço mais completo e credível.

Ao decidir o preço da sua casa, considere o preço mínimo pelo qual está disposto a vendê-la. Poderá então estabelecer um preço superior a esse valor, para dar oportunidade de negociar com o cliente sem sair prejudicado.

2. Prepare a casa para a venda

Antes de começar o processo de venda da casa, deve fazer arrumações e pequenas reparações para a casa estar no seu melhor. Para além de deixar o imóvel mais atrativo para potenciais compradores, também colocará a sua casa numa posição mais vantajosa relativamente à concorrência.

No caso de a sua casa ser mais antiga ou necessitar de obras mais profundas, procure dirigir a venda da sua casa para um público mais interessado na restauração ou reabilitação de imóveis.

3. Coloque a casa à venda e comece a divulgá-la

Anuncie a sua casa em várias plataformas para chegar ao maior número de compradores possível. Pode optar por meios mais tradicionais, tais como pendurar a placa de venda com o seu contacto na casa ou colocar um anúncio no jornal da sua região.

Também pode divulgar a venda entre os seus familiares, amigos e vizinhos, ou espalhando a palavra em lojas locais ou cafés da zona. Para alcançar um número ainda maior de potenciais compradores, pode também divulgar a sua casa nos sites dedicados à venda de imóveis e redes sociais.

4. Prepare-se para a visita de interessados

Antes de apresentar a casa a potenciais compradores, é necessário limpar e arrumar a casa. Procure criar um ambiente limpo e agradável, de forma a gerar uma boa primeira impressão no interessado.

Durante a visita, dê destaque aos aspetos positivos da casa e fale das vantagens de viver nessa zona. Também é importante que se disponibilize para responder a todas as questões que o interessado possa ter.

5. Tem um interessado?

O primeiro passo é discutir o valor do imóvel. Tendo chegado a um consenso, a próxima etapa é a celebração do Contrato de Promessa Compra e Venda (CPCV). Este é um documento que formaliza o negócio e protege os direitos e deveres de todas as partes envolvidas até à assinatura do contrato definitivo.

O passo seguinte consiste em oficializar o negócio. Se o comprador recorrer ao crédito habitação, pode ajudá-lo fornecendo as informações e documentação necessárias para pedir o crédito habitação.

Como formalizar o negócio?

A formalização do negócio dá-se através do registo da escritura. Para isso, poderá recorrer ao Balcão Casa Pronta, uma iniciativa do Ministério da Justiça, ou ao serviço Casa Simples Casa Segura, prestado pelos notários no Cartório Notarial. Estes serviços concentram todo o processo numa só entidade, permitindo tratar de toda a documentação necessária ao comprar e vender casa. Os custos associados ao registo da escritura estão, no entanto, ao encargo do comprador.

Documentação necessária para vender casa

Para vender casa, é necessário apresentar a documentação do imóvel, incluindo:

  • Caderneta Predial Urbana: este é um documento que contém toda a informação fiscal do imóvel. Poderá obtê-lo de forma simples e gratuita através do Portal das Finanças;
  • Certidão Permanente do Registo Predial: neste documento está registado o historial do imóvel relativamente a encargos e penhoras. Poderá pedi-lo numa Conservatória do Registo Predial, por 20€, ou online, através do Registo Predial Online, por 15€;
  • Certificado Energético: este documento indica a eficácia energética da casa. Por norma, custa acima de 130€, podendo variar de acordo com o perito que realizar a certificação;
  • Ficha técnica do imóvel: neste documento constam as características técnicas e funcionais do imóvel. Só é necessário caso a casa tenha sido construída ou sujeita a obras de reconstrução após 30 de março de 2004.**
  • Licença de utilização: também conhecida como licença de habitação ou de habitabilidade, este documento comprova que o imóvel é habitável. É obrigatório para todos os edifícios construídos depois de 1951. Também pode pedir uma segunda via na Câmara Municipal, sendo que o valor pode variar de município para município;
  • Distrate: este documento comprova o cancelamento da hipoteca por parte do proprietário. Pode pedir este documento gratuitamente no banco onde fez o seu crédito.

**Se for este o seu caso, provavelmente recebeu este documento no registo da escritura. No entanto, poderá pedir uma segunda via na Câmara Municipal. O valor pode variar consoante o município.

Despesas necessárias para vender casa

A vantagem de vender casa sem recorrer a intermediários é não ter de pagar a comissão à agência imobiliária. No entanto, há outras despesas que devem ser consideradas no processo de vender casa:

  • Imposto sobre as mais-valias imobiliárias: as mais-valias correspondem ao lucro obtido ao vender casa. Por ser uma fonte de rendimento, terá de declarar as mais-valias no IRS e terá de pagar um imposto que corresponde a 50% das mais-valias. Clique aqui para saber mais sobre as mais-valias, como as calcular e descubra se pode estar isento;
  • Cancelamento do crédito habitação: se recorreu ao crédito habitação, é aconselhável que se desloque ao seu banco para o liquidar e pedir o distrate da hipoteca. De seguida, deverá deslocar-se à Conservatória do Registo Predial e preencher um formulário para cancelar a hipoteca, onde terá de pagar 50€;
  • Despesas com a documentação: deverá também ter em consideração os custos associados à emissão da documentação necessária para a venda do imóvel, que foram abordados no ponto anterior.

Vender casa sem imobiliária: prós e contras

Vender casa sozinho é uma boa forma de aumentar o seu lucro, já que não terá de pagar as comissões à agência imobiliária. O valor das comissões pode variar consoante a agência, mas, por norma, ronda os 5% (+IVA) do valor por que o imóvel foi vendido. Por exemplo, se vender a sua casa por 150.000€, terá de pagar 7.500€ de comissão à agência.

Apesar de poupar nas comissões, só deverá tomar esta decisão caso tenha o tempo e a disponibilidade necessários para completar todo este processo sozinho (colocar a casa à venda, divulgá-la, manter contacto com interessados, gerir visitas e tratar de toda a documentação necessária).

Se tem a disponibilidade para isso, deverá pensar se se sente realmente confiante para isso. Se a resposta for sim, vender casa sem ajuda de um agente imobiliário é a opção ideal, uma vez que irá poupar bastante nas comissões e aumentar o seu lucro. Porém, se não se sentir capaz de gerir o processo do início ao fim, deverá pensar em recorrer a uma agência que o irá apoiar e ajudar a vender a sua casa.

Partilhe este artigo
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Deixe o seu comentário
Subscrever
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments